21/set/2017

Whitney Houston: uma voz sufocada pelos julgamentos

image

Apesar de considerá-la uma das minhas cantoras favoritas, não conhecia a história de vida da Whitney Houston. Assisti o documentário lançado recentemente na Netflix (Whitney: Can I Be Me) e, ao final, senti tristeza por descobrir um dos motivos do seu sofrimento em vida. O grande amor de Whitney foi uma mulher, Robyn Crawford, sua assistente pessoal.

Por conta de sua família religiosa, ela nunca assumiu esse relacionamento, e acabou se casando com um homem, Bobby Brown. Mesmo assim, as duas continuaram presentes uma na vida da outra, até que as constantes brigas de Roby e Bobby fizeram ela se afastar definitivamente de Whitney. Esse foi um dos motivos que a levaram a se drogar cada vez mais, até morrer.

Um dos assuntos dessa semana foi a autorização da “cura gay“, um tipo de terapia de reversão sexual realizada por alguns psicólogos que, até então, era proibida no Brasil. Chega a ser surreal como, em pleno 2017, algumas pessoas ainda acreditem que ser homossexual é algo anormal. Me espanta ainda mais que alguns psicólogos realizem esse tipo de tratamento, quando supomos que esse profissional entenda muito bem da mente humana.

Essa discussão ainda vai longe, mas acompanhar a história da Whitney me fez pensar sobre todas as pessoas que passam pela mesma situação, ficando doentes ou até mesmo morrendo por não se sentirem aceitas. Fica aquela sensação de revolta, misturada com tristeza e solidariedade. A esperança é que, em uma próxima geração, as coisas comecem a mudar, e lindas vozes e vidas como a de Whitney não sejam mais sufocadas.

                
 

1 Comentário

  1. FABIOTV disse:

    Olá, tudo bem? Nossa, o blog ressuscitou? Rs…. Bjs, Fabio http://www.tvfabio.zip.net

Deixe o seu comentário!