16/out/2015

[Análise] How to get away with murder – 1ª temporada

how-to-get-away-with-murder-1-main

Mês passado, fiz um post falando sobre o discurso da atriz Viola Davis após receber o Emmy de melhor atriz, por sua atuação na série “How to get away with murder”. Como não poderia deixar de ser, tive que começar a assistir a série para conferir de perto o trabalho dela.

De cara, já preciso dizer: Esse prêmio foi muito, muito merecido! Viola é uma baita atriz, grande responsável pelo sucesso da série.

Ela interpreta a personagem Annalise Keating, uma advogada muito conceituada que dá aulas em uma universidade. No início do curso, ela escolhe 5 alunos de sua turma para estagiar em sua equipe: Wes Gibbins (Alfred Enoch), Connor Walsh (Jack Falahee), Michaela Pratt (Aja Naomi King), Asher Millstone (Matt McGorry) e Laurel Castillo (Karla Souza). Annalise é extremamente exigente, e de início não fica muito claro quais foram os critérios de escolha. Exceto pelo jovem Wes, que conquista a atenção da advogada logo de cara por descobrir um de seus segredos.

Aliás, Annalise é um personagem cheia de mistérios. Ela se mostra uma mulher forte na maior parte do tempo, mas é possível enxergar sua fragilidade em alguns momentos. Existe uma cena em especial em que podemos acompanhar a desmontagem (literalmente) da imagem que ela luta tanto para manter. O preconceito contra a mulher negra também é abordado em algumas falas. Nos episódios finais, um personagem ataca Annalise com palavras muito duras. Infelizmente, é só um reflexo da vida real e de como alguma pessoas ainda vivem no mundo obscuro da ignorância.

Logo nos primeiros minutos da série, sabemos que houve um crime envolvendo os alunos dela. Como aconteceu? Quem matou? Quem é o cadáver? Ao longo dos episódios, cenas do presente e do passado são mostradas, revelando aos poucos esse mistério.

how-to-get-away-with-murder-recap-season-1-finale-43

Annalise e Wes

Além de Annalise, 3 personagens se destacaram para mim: Wes, que desenvolve uma relação especial com Annalise (uma ligação quase de mãe e filho), Connor, que usa o sexo para conseguir informações sobre os crimes, mas que se revela depois um cara sensível e Rebbeca, a personagem chave para o esclarecimento de um crime que resultou no assassinato envolvendo os alunos. Ela é uma personagem ambígua, e não dá pra saber quando ela fala a verdade ou quando mente…até o último episódio da primeira temporada.

Annalise também não é “flor que se cheire” e usa de artifícios nada éticos para conseguir o que quer. Afinal, amamos ou odiamos essa mulher? Não dá pra saber, mas uma coisa é fato: Ela vai mexer com você (e te ensinar a esconder um assassinato).

                
 

1 Comentário

  1. Davison Reis disse:

    Deixando na lista para assistir!
    Espero que goste. Obrigado pela dica Talita!

Deixe o seu comentário!