30/jan/2015

Quando entendi (e passei a apoiar) o feminismo

rosie_the_riveter

O termo feminismo sempre teve uma conotação negativa para mim. Não lembro exatamente a primeira vez que ouvi falar sobre o assunto, mas sempre que essa palavra vinha à minha cabeça, eu pensava em duas coisas: mulheres chatas e a Marcha das Vadias.

Aliás, sempre achei um absurdo esse nome. Quem aquelas mulheres pensavam que eram, dizendo que “Ser vadia” era um direito das mulheres? Eu não queria ser vadia, e não entendia como alguém podia se orgulhar disso. E, para que mostrar os peitos? Isso só piorava a imagem da classe feminina.

Meu primeiro contato com o feminismo

Passei muitos anos da minha vida com essa visão, sem entender como o feminismo podia ser considerado algo bom por algumas pessoas. Até que, em um belo e maravilhoso dia, me deparei com o texto Campanha pela real feiura, publicado no site  “Lugar de Mulher”.

A autora do post, Polly, fala sobre um meme que rolou durante a Copa do Mundo no Brasil. Nele, a torcedora alemã Ulrike Neumann é chamada de feia, por conta de uma foto com ângulo ruim tirada no estádio. Polly destaca como aquela situação foi desagradável, já que a mulher foi totalmente exposta e ridicularizada apenas por não apresentar um padrão de beleza exigido pela sociedade. Depois de ler o texto, comecei a devorar todo o conteúdo do site e simplesmente a minha ficha caiu.

Nós, mulheres, somos escravas de uma série de ideias e pensamentos totalmente machistas, que nos massacram desde sempre. Não temos liberdade para decidir o que fazemos com o nosso corpo, nem com a nossa vida. Parece um pouco exagerado (como eu achava que era), mas depois de refletir e passar por algumas situações nos últimos meses, infelizmente, cheguei a conclusão de que isso não é um exagero.

Quem nunca ouviu ou falou alguma coisa do tipo?

“Mulher solteira só pode ser chata e frustrada. Escolhe demais!!! Com certeza tem algum problema”

“Chegar aos 40 anos solteira e sem filhos?? Um exemplo de  fracasso na vida”

“É casada, mas não quer ter filhos? Egoísta!!! Toda mulher DEVE ser mãe”

“Mãe solteira só tem um objetivo na vida….arrumar outro pai pro filho. Se é divorciada, tem algum problema”

“Porque você não faz uma progressiva nesse cabelo? Ia ficar bonito”

“Você devia se arrumar mais”

“Homem não gosta de mulher gorda. Porque você não faz uma dieta?”

“Mulher é tudo louca, surtada…por isso gosto de trabalhar com homem”

“Transou no primeiro encontro? Que safada”

“Fica regulando pro cara? Ele vai te largar logo e arrumar outra”

Enfim, eu poderia ficar aqui horas reproduzindo vários discursos machistas que as mulheres são obrigadas a ouvir. E, o pior, muitas vezes nem percebemos, já que isso está totalmente inserido na sociedade há séculos. Nos cobram perfeição e, de forma inconsciente, agimos para satisfazer as expectativas alheias, sem pensar primeiro na nossa própria vontade.

Espero ter a oportunidade de escrever muito sobre esse assunto aqui no blog, mas só quero deixar registrado duas coisas que aprendi:

1ª As feministas não são chatas, são mulheres fortes que lutam para quebrar paradigmas e conquistar a liberdade, em vários sentidos.

2ª As vadias têm TODO o direito de serem vadias, de fazer o que quiserem com o corpo delas, sem o julgamento de ninguém.

Antes de encerrar, fica a dica: Leiam o site “Lugar de Mulher” e reflitam sobre o que as meninas discutem. Vamos trocar algumas ideias sobre o feminismo!!

                
 

4 Comentários

  1. FABIOTV disse:

    Olá, tudo bem? Ótima notícia!!!! Blogueiros unidos jamais serão vencidos… Rs…. Conto sempre com a sua participação. Bjs, Fabio http://www.fabiotv.zip.net

  2. Talita, você tocou em um ponto que amo: Pensamentos incrustados no subconsciente das pessoas, inclusive na minha.
    São padrões mentais que nos foram impostos e a regra para minha pessoa sair dessa caixa é: Liberte-se de todos eles. Creio que o feminismo é uma maneira forte de expressar e se rebelar quanto à estes “padrões” ou do “politicamente correto”. Fiz certo dia uma comparação em grupo no whatsapp, de meninas que são adeptas ao “feminismo” sobre, porquê existe perfume feminino e perfume masculino… ou sobre porquê o quarto do meu filho não pode ter detalhes rosa em seu quarto e o da menina, ser decorado preto com azul? As meninas concordaram até que toquei no ponto, porquê devem cobrir os seios? Muitas nem replicaram ou comentaram… Sinto que as escolhas que podem parecer estranhas mexem e tocam nesse sentido de pensar, que vai além do machismo e feminismo. Essas escolhas, mexem com nosso pensamento automático e primitivo do inconsciente, em que o homem é o mais forte e mais certo e a mulher deve obedecer sempre. Se eu brincar mais com meninas do que com meninos, sou tachado de ” esse no futuro vai ser…. ” e nem sempre é verdade (: É a realidade complexa de que ainda temos muitos tabus para quebrarmos, sem querermos ofender com essa atitude mas já tirando do sério os “donos da verdade e da moral”. O assunto é bom e vou adorar debater sobre isso. Enquanto eu? Sou à favor do direito igualitário à todos, desde homens e mulheres! Todos são iguais e capacitados!

Deixe o seu comentário!